SLIDE9 SLIDE8 SLIDE7 SLIDE6 SLIDE5 Slide 3 Slide 2 Slide 1

Etnia

A etnia germânica

Numa época remota, grupos tribais jaféticos (principalmente os arianos, descendentes de Asquenaz, neto de Jafé, através de Gomer), após deixarem a Índia dirigiram-se ao sudeste do Mar Negro na região de Turan, onde foram vinculados ao nome Citas, em torno do oitavo século A.C. Posteriormente fixaram-se por um longo período na região do Ker, na Pérsia (atual Irã).

Daí em diante ficaram conhecidos na língua persa como Kerman (Herman em alemão), significando “homem do Ker ou Her”. Assim surgiu a etnia germânica, englobando todos os grupos das famílias jaféticas europeias.

Um desses grupos, o címbrico (de Címbro, neto de Jafé através de Gomer), imigrou em direção ao ocidente, a princípio na região em torno da Península do Jylland ou Jutland, no norte da Europa. Na península está a parte continental da Dinamarca, entre o Mar do Norte, o Skagerrak (ou Kattegat) e o mar Báltico.

Misturados com os godos espalharam-se daí para o norte, na região da Escandinávia, Noruega e Suécia, tornando-se depois conhecidos como Nortmann ou Normandos e também Vikings. Um pesquisador escocês chegou a traçar o caminho seguido por este grupo para vir da Pérsia até a sua pátria.

A base principal deste sistema é o idioma. Ainda que não seja verdade, como sustentava Leibnitz, que linhas inteiras escritas na língua persa sejam compreendidas por um alemão é, no entanto certo, que todos os dialetos persas apresentam um grande número de raízes, de inflexões e de construções germânicas, bem como de vocábulos dinamarqueses e ingleses góticos. E, o que é ainda mais surpreendente, seguem em parte até regras extravagantes, como o excesso da versificação islandesa.

O crítico alemão Schloezer notou que o antigo eslavo, que muito se assemelha ao persa, tem maior afinidade com a língua alemã e com o islandês do que com os idiomas eslavos modernos. Há ainda pontos de contato entre o alemão e o sânscrito, o grego e o latim.

Este fato nada mais é do que uma consequência da origem comum entre todos estes povos, que posteriormente constituíram a antiga Germânia e receberam os nomes “indo-persa-germanos” ou “indo-persa-europeus”.

Alemanha

Até o século XIX ainda não estava claro o ponto inicial da história da Alemanha. Tomou-se então como marco o ano IX D.C., quando um príncipe da etnia germânica dos queruscos chamado Armínio, derrotou três legiões romanas do General Varo na floresta de Teutoburg.

Armínio, sobre quem não há muitos detalhes conhecidos, é considerado o primeiro herói nacional da Alemanha. Entre 1838 e 1875, foi erguido um gigantesco monumento em sua homenagem, nas proximidades da cidade de Detmold.

Mas, atualmente, as coisas já não são vistas de modo tão simples. O surgimento do povo alemão decorreu em virtude de um processo secular. A palavra ”deutsch” (de teuto) provavelmente só apareceu no século VIII e inicialmente significava apenas “o idioma falado na parte oriental do império dos francos”.

Esse império, que alcançou seu apogeu no reinado de Carlos Magno (séc. IX), abrangia povos de dialetos germânicos e românicos. Pouco depois da morte de Carlos Magno (814) o império começou a se desintegrar em decorrência de diversas partilhas sucessórias. Formaram–se então dois impérios, o ocidental e o oriental, com sua fronteira política bastante aproximada da fronteira linguística entre a língua alemã e francesa atual.

Os habitantes do império oriental só desenvolveram um sentimento de solidariedade aos poucos. A palavra que a princípio designava a língua passou a qualificar o povo que a falava e depois, a região por ele habitada. No caso, “Deutschland” (terra dos teutões).

A designação Alemanha surgiu de Alemanos, que era uma liga formada por grupos de pessoas de várias tribos germânicas. A liga tornou-se conhecida como “ Alle Mann” (todas as pessoas ou gentes) e prevaleceu acima das demais.

A fronteira ocidental da Alemanha ficou estabelecida bem cedo e permaneceu relativamente estável. Já a fronteira oriental ficou instável durante vários séculos. No ano 900 ela seguia mais ou menos, o percurso ao longo dos rios Elba e Saale.

Nos séculos que se seguiram o território habitado pelos alemães foi ampliado em direção ao leste. Este movimento só veio a estacionar em meados do século XIV. A divisão étnica entre alemães e eslavos alcançada naquela época ficou estável até a IIª Guerra Mundial.

Germanos hoje

Na Europa atual, os muitos grupos e subgrupos da grande família germânica original encontram-se divididos e reagrupados em nações independentes. Entretanto, quer sejam denominados germanos, alemães, teutos, suíços, austríacos, francos ou franceses, dinamarqueses, noruegueses, suecos, islandeses, holandeses, bretões ou ingleses, irlandeses, escoceses, etc., pertencem todos a etnia germânica.

Muitos destes dispersaram-se pelo mundo afora. Organizaram-se em comunidades sob nova cidadania – entre elas a brasileira -, onde cultivam as tradições características de sua origem étnica germânica.



Nossos Parceiros



© Germania de Sempre 2010-2016. Todos os Direitos Reservados - Desenvolvido e Hospedado na Hospeda Empresa